Instrução‎ > ‎Escotismo‎ > ‎

Escoteiro ou Escuteiro?

Escoteiro ou Escuteiro ?

Como e porquê se escreve assim

Os adeptos do método educativo, concebido por Baden-Powell, conhecido na Grã-Bretanha por Scouting, têm sido designados em Portugal por scouts, escoteiros, adueiros, escutas e escuteiros. Quando este movimento surgiu em terras lusitanas servimo-nos do termo scout, solução aceitável, já que em muitos países que não falam a língua inglesa ainda é o termo usado.
Todavia, os responsáveis do nosso movimento, não se contentaram com a simples adopção do vocábulo estrangeiro. O que quer dizer escoteiro? Dizem os dicionários: "o que não leva mochila ou alforje; que viaja ligeiro; que viaja, pagando escote (aquilo que compete a cada um numa despesa comum) pelo caminho para comida e dormida; explorador". Logo, em 1913, surge no próprio nome da associação: Associação dos Escoteiros de Portugal, que então se formou. Durante mais de duas décadas, tanto escoteiro como escotismo singraram. Até que, em 1924, se produziu uma dissidência no movimento.
Alguns dirigentes escotistas iniciaram a criação de nova associação, reservada a elementos da confissão católico - romana. Ciosos dos objectivos de total cisão, esses dirigentes repudiaram a palavra escoteiro e retrocederam para o scout, chamando à associação Corpo Nacional de Scouts.
Tentou-se fabricar um substituto, surgindo escuta, e logo apareceram filólogos a proclamar que, dado scout ter origem no arcaísmo francês escouter, do latim auscultare, a grafia escutismo seria preferível a escotismo, para o que se alhearam de um argumento de extrema importância em questões desta natureza: a consagração de escoteiro e escotismo pelo uso ao longo de mais de vinte anos! Em socorro da inovação veio ainda o Acordo Ortográfico Luso - Brasileiro de 1945, que perfilhou esta singular solução: em Portugal passava a escrever-se escuteiro e escutismo enquanto no Brasil continuava a grafar-se escoteiro e escotismo.
Só que, no caso do movimento escotista, o vocábulo escuta não foi uma escolha feliz. Não traduz capazmente o inglês scout, já que em português envolve uma ideia eminentemente de imobilidade: o que está a escuta, o que espia, lugar onde se escuta, o meio de se escutar. Ao passo que o inglês scout traz um vincado carácter de deambulação: soldado, navio ou avião enviado a espiar as forças ou movimentos do inimigo; pessoa enviada a sondar o valor de um desportista; explorador.
Adaptado de In "Sempre Pronto" n.º 434 31/12/1981